Apuama

Alunos de engenharia desenvolvem tijolo a partir das cinzas do bagaço da cana-de-açúcar

Matéria publicada na Revista Engenharia Compartilhada

A cana-de-açúcar está ligada à história do Brasil e faz parte da economia nacional. Diante da grande produção de cana-de-açúcar, os pesquisadores estão sempre buscando uma forma de aproveitar os resíduos e já mostraram que eles têm muitas aplicações. Recentemente, alguns alunos de engenharia desenvolveram um tijolo a partir das cinzas do bagaço da cana-de-açúcar, que possui um alto poder calorífico e é um dos principais combustíveis do processo produtivo da fabricação de açúcar e álcool. Porém, as cinzas que sobram do processo são um problema para a indústria. Ela possui uma grande quantidade de dióxido de silício.

Tijolo a partir das cinzas do bagaço da cana-de-açúcar
Para reduzir o impacto ambiental gerado pelas cinzas, alguns alunos de engenharia civil da Faculdade de Presidente Prudente (FAPEPE) desenvolveram um tijolo a partir das cinzas do bagaço da cana-de-açúcar. O produto é resultado do projeto de pesquisa denominado “Incorporação das cinzas do bagaço da cana-de-açúcar”. Atualmente, os alunos estão no processo de produção do tijolo que será submetido a testes de resistências.
Outros projetos de pesquisa
A ideia de produzir tijolo a partir das cinzas do bagaço da cana-de-açúcar não é nova. Em 2013, duas alunas de Alagoas conseguiram, após mais de 60 tentativas, desenvolver um tijolo semelhante, também feito a partir das cinzas do bagaço da cana. O resultado veio após a descoberta de que as cinzas possuem a sílica, componente que propicia a liga e a resistência ao cimento.
Na mistura do tijolo, as pesquisadoras usaram uma proporção de 86% de solo, 6% de cimento e 8% de cinzas. Na época, o custo de cada tijolo era de R$0,05. O projeto foi premiado nos Estados Unidos.
Benefícios
A construção civil é quase uma vilã quando são somados todos os impactos ambientais gerados pelo setor. Não só observando a área da construção, mas os impactos de todos os produtos usados durante o processo.
Além disso, o custo do tijolo a partir das cinzas do bagaço da cana-de-açúcar é inferior ao custo do tijolo convencional. Por não ser difícil encontrar a matéria-prima, o tijolo também pode ser produzido por pequenas comunidades que podem usar para melhorar a construção das residências locais.

Antonio

Licenciado em Matemática (USP-1974), Engenheiro Agrícola (UNICAMP, 1980), Mestre em Eng. Agrícola (UNICAMP, 1987), Docteur en Sciences du Bois (ENSTIB, Nancy, France, 1994). Possui enorme admiração pela "Dádiva dos Deuses" - o Bambu. Co-autor do livro "Bambu de Corpo e Alma", agora em segunda edição, e administrador do site www.apuama.org, projeto pessoal desenvolvido desde 2009.

Envie comentário

Most popular

Most discussed